Pancreatite é a inflamação do parênquima pancreático. É uma doença relativamente comum em cães e gatos e pode se manifestar de forma aguda ou crônica. Em geral, os animais são trazidos à clínica apresentando vômitos, diarreia e intensa dor abdominal. Trata-se de um quadro que pode evoluir de forma grave, uma vez que a liberação intraperitoneal de enzimas pancreáticas causa lesões nos órgão adjacentes, peritonites e até mesmo quadros inflamatórios sistêmicos severos. Embora tenha ocorrência comum, o diagnóstico laboratorial nem sempre é fácil. 

As mensurações séricas de AMILASE e LIPASE, duas enzimas do pâncreas exócrino, são os exames clássicos mais pedidos pelos clínicos. Todavia, hoje já sabemos que a sensibilidade destes testes deixa muito a desejar em cães, sendo necessário um quadro agudo muito grave para que haja alterações significativas e, em felinos, esses testes são absolutamente dispensáveis tamanho número de falsos-negativos. 

Hoje nossa melhor ferramenta é a LIPASE ESPECÍFICA (PLI), embora apresente um custo mais oneroso, valores de sensibilidade que vão de 60 a 100% tanto em cães quanto em gatos tornaram essa mensuração a que melhor pode nos direcionar nas suspeitas de pancreatite aguda. 

Converse sempre com seu patologista clínico, apresente suas suspeitas e peça orientações sobre o que temos disponível no mercado, sempre surgem coisas novas e eles saberão te indicar.